Conhecimento

CENTRO DE CONHECIMENTO ESAB

Desde a invenção do eletrodo revestido em 1904 por Oscar Kjellberg, a ESAB teve um papel ativo na descoberta e desenvolvimento de processos de soldagem.

O Centro de Conhecimento ESAB contém vasto conteúdo e informações para todos os profissionais do segmento de soldagem e corte.

1Como otimizar a soldagem MIG em alumínio?

 

  Use a identificação correta das dimensões do bico de contato. Os bicos de contato mais longos melhoram a alimentação do arame. O diâmetro do furo da ponta do bico de contato deve ser aproximadamente 10% maior do que o diâmetro do eletrodo. Os fabricantes possuem produtos específicos para soldagem de alumínio.   Verifique as conexões de saída de água e do gás inerte. Use uma mangueira Tygon para o gás inerte. Não troque linhas da água e de gás inerte.   Mantenha uma relação apropriada entre a ponta do bico de contato e o bocal. A ponta do bico de contato deve estar recuada em relação ao bocal a uma distância de 1.6 a 6.4 mm no máximo.   Use a fonte de energia correta. A fonte ...

 

  Use a identificação correta das dimensões do bico de contato. Os bicos de contato mais longos melhoram a alimentação do arame. O diâmetro do furo da ponta do bico de contato deve ser aproximadamente 10% maior do que o diâmetro do eletrodo. Os fabricantes possuem produtos específicos para soldagem de alumínio.   Verifique as conexões ...

Saiba mais

1O Sufixo G nas normas ASME SFA/AWS A5.5

O sufixo "-G" das classificações da norma ASME SFA 5.5 ou AWS A5.5 significam que o eletrodo revestido deve gerar um metal de solda com uma composição química que tenha no mínimo o teor especificado abaixo para pelo menos um dos elementos químicos citados na tabela:

Eletrodo Revestido Mn Si Ni Cr Mo Elementos Adicionais EXX10-G 1,00 min 0,80 min 0,50 min 0,30 min 0,20 min V 0,10 / Cu 0,20 EXX11-G 1,00 min 0,80 min 0,50 min 0,30 min 0,20 min V 0,10 / Cu 0,20 EXX13-G 1,00 min 0,80 min 0,50 min 0,30 min 0,20 min V 0,10 / Cu 0,20 EXX15-G 1,00 min 0,80 min 0,50 min 0,30 min 0,20 min V 0,10 / Cu 0,20 EXX16-G 1,00 min 0,80 min 0,50 min 0,30 min 0,20 min V 0,10 / Cu 0,20 EXX18-G 1,00 ...

O sufixo "-G" das classificações da norma ASME SFA 5.5 ou AWS A5.5 significam que o eletrodo revestido deve gerar um metal de solda com uma composição química que tenha no mínimo o teor especificado abaixo para pelo menos um dos elementos químicos citados na tabela:

Eletrodo Revestido Mn Si Ni Cr Mo Elementos Adicionais EXX10-G 1,00 ...

Saiba mais

1Soldagem de Ligas de Alumínio com Qualidade

Porosidade no cordão de solda Porosidade no metal de solda de ligas de alumínio é um dos defeitos de maior ocorrência na soldagem deste material. Essa porosidade tem como origem o aprisionamento de hidrogênio (gases) durante o processo de solidificação. O hidrogênio é altamente solúvel no alumínio fundido, como pode ser observado na figura abaixo, motivo pelo qual, durante a soldagem das ligas de Al, é consideravelmente elevada a probabilidade da ocorrência de porosidade.

Este gás pode ser introduzido não intencionalmente durante a soldagem, através da contaminação da área a ser soldada, como, por exemplo, por hidrocarbonetos ou umidade. Como boas práticas para minimizar a ocorrência ...

Porosidade no cordão de solda Porosidade no metal de solda de ligas de alumínio é um dos defeitos de maior ocorrência na soldagem deste material. Essa porosidade tem como origem o aprisionamento de hidrogênio (gases) durante o processo de solidificação. O hidrogênio é altamente solúvel no alumínio fundido, como pode ser observado na figura abaixo, ...

Saiba mais

1Como identificar o Eletrodo e a Corrente corretos para soldagem?

Aços carbono Muitas vezes nos deparamos com uma situação na qual não conhecemos a identificação do eletrodo com o qual iremos soldar. Isso acontece, por exemplo, quando a etiqueta da embalagem foi danificada ou quando simplesmente se desconhece a nomenclatura utilizada. Por isso, daremos algumas dicas sobre qual eletrodo é ideal para cada aplicação. Em geral, um eletrodo em condições normais trará uma identificação em seu revestimento, na extremidade próxima à ponta. Esta identificação deverá ser composta de uma letra e quatro números. A sigla pertence, em geral, à norma americana de soldagem AWS (American Welding Society, ou Associação Americana de Soldagem). Com relação à identificação ...

Aços carbono Muitas vezes nos deparamos com uma situação na qual não conhecemos a identificação do eletrodo com o qual iremos soldar. Isso acontece, por exemplo, quando a etiqueta da embalagem foi danificada ou quando simplesmente se desconhece a nomenclatura utilizada. Por isso, daremos algumas dicas sobre qual eletrodo é ideal para cada aplicação. Em ...

Saiba mais

1Tratamento Térmico de Alívio de Tensões na soldagem

Durante a operação de soldagem, tensões residuais surgem na peça soldada devido ao fenômeno da dilatação térmica, causada pelo calor gerado durante o processo. Como se sabe, a dilatação térmica é diretamente proporcional à variação de temperatura. Portanto, numa junta soldada, a região mais próxima ao arco elétrico é fundida e, na medida em que a distância aumenta, ou seja, que o ponto está mais afastado da zona fundida, a temperatura máxima, também chamada de temperatura de pico, diminui.

  Legenda: TA – Taxa de Aquecimento TR – Taxa de Resfriamento Ti – Temperatura inicial Tf – Temperatura final Tp – Tempo de patamar  Essa variação de temperatura provoca um aquecimento heterogêneo, ...

Durante a operação de soldagem, tensões residuais surgem na peça soldada devido ao fenômeno da dilatação térmica, causada pelo calor gerado durante o processo. Como se sabe, a dilatação térmica é diretamente proporcional à variação de temperatura. Portanto, numa junta soldada, a região mais próxima ao arco elétrico é fundida e, na medida em que a ...

Saiba mais

1Sufixos 15, 16 e 17 em Eletrodos para Aços Inoxidáveis

SUFIXO -15 Os eletrodos podem ser utilizados apenas com dcep (corrente contínua com o eletrodo no pólo positivo). Embora às vezes sejam utilizados com corrente alternada, eles não são feitos para serem qualificados para o uso com este tipo de corrente. Eletrodos de diâmetros de 5/32"(4.0mm) e menores podem ser utilizados em todas as posições de soldagem. SUFIXO -16 O revestimento destes eletrodos geralmente contém elementos que se ionizam rapidamente, tais como o potássio, para estabilizar o arco e possibilitar a soldagem com corrente alternada. Eletrodos de diâmetro 5/32"(4.0mm) e menores podem ser utilizados em todas as posições de soldagem. SUFIXO -17 O revestimento destes eletrodos ...

SUFIXO -15 Os eletrodos podem ser utilizados apenas com dcep (corrente contínua com o eletrodo no pólo positivo). Embora às vezes sejam utilizados com corrente alternada, eles não são feitos para serem qualificados para o uso com este tipo de corrente. Eletrodos de diâmetros de 5/32"(4.0mm) e menores podem ser utilizados em todas as posições de soldagem. SUFIXO ...

Saiba mais

1Processo de Soldagem - TIG (GTAW)

Soldagem TIG (Tungsten Inert Gas) ou GTAW (Gas-Shielded Tungsten Arc Welding) é um processo que utiliza um eletrodo sólido de tungstênio não consumível. O eletrodo, o arco e a área em volta da poça de fusão da solda são protegidos por uma atmosfera protetora de gás inerte. Se um metal de enchimento é necessário, ele é adicionado no limite da poça de fusão. A soldagem TIG produz uma solda limpa e de alta qualidade. Como não é gerada escória, a chance de inclusão da mesma no metal de solda é eliminada, e a solda não necessita de limpeza no final do processo. Soldagem TIG pode ser usada para quase todos os metais e o processo pode ser manual ou automático. A soldagem TIG é largamente utilizada ...

Soldagem TIG (Tungsten Inert Gas) ou GTAW (Gas-Shielded Tungsten Arc Welding) é um processo que utiliza um eletrodo sólido de tungstênio não consumível. O eletrodo, o arco e a área em volta da poça de fusão da solda são protegidos por uma atmosfera protetora de gás inerte. Se um metal de enchimento é necessário, ele é adicionado no limite da poça ...

Saiba mais

Pesquisar


Categorias

Palavras-chave


ESAB no YouTube


Apostilas de Treinamento

Além da linha completa com todos os produtos para soldagem e corte, a ESAB oferece ainda material de estudo para treinamento de soldadores e profissionais do segmento.
Aqui você encontrará apostilas em formato .PDF, com download gratuito.


x

Encontre o Distribuidor mais próximo