This site uses cookies and other tracking technologies to provide you with our services, enhance the performance and functionality of our services, analyze the use of our products and services, and assist with our advertising and marketing efforts.

Cookie Policy   Privacy Notice

CENTRO DE CONHECIMENTO ESAB

Soldagem de Ligas de Alumínio com Qualidade

Porosidade no cordão de solda

Porosidade no metal de solda de ligas de alumínio é um dos defeitos de maior ocorrência na soldagem deste material. Essa porosidade tem como origem o aprisionamento de hidrogênio (gases) durante o processo de solidificação.

O hidrogênio é altamente solúvel no alumínio fundido, como pode ser observado na figura abaixo, motivo pelo qual, durante a soldagem das ligas de Al, é consideravelmente elevada a probabilidade da ocorrência de porosidade.

solubilidade_hidrogenio_aluminio

Este gás pode ser introduzido não intencionalmente durante a soldagem, através da contaminação da área a ser soldada, como, por exemplo, por hidrocarbonetos ou umidade. Como boas práticas para minimizar a ocorrência de porosidades, recomenda-se:

  • Remover graxas e óleos da área a ser soldada.
  • Remover a camada de óxido por escovamento ou lixamento.
  • Verificar possíveis vazamentos no circuito de água do equipamento de soldagem.
  • Utilizar gás de soldagem “limpo” e seco.
  • Ajustar o volume correto de gás de proteção para soldagem.
  • Usar hélio no gás de proteção para chapas espessas.
  • Armazenar os consumíveis de soldagem em locais secos e com umidade e temperatura controladas.
  • Usar o máximo diâmetro de arame possível.
  • Pré-aquecer o material de base (65°C), dependendo da sua espessura.
  • Evitar soldagem em ambientes com elevada umidade (ponto de orvalho).
  • Transportar as partes a serem soldadas, inclusos consumíveis, 24 horas antes do início da soldagem (Condensação umidade).
  • Certificar-se quanto à utilização de arame com a superfície livre de resíduos (ex: lubrificante em excesso).
Tipo de corrente

Para soldagem TIG de aços carbono, normalmente se utiliza corrente contínua com polaridade negativa (CC-). Entretanto, para soldagem de ligas de alumínio por esse mesmo processo, recomenda-se a utilização de corrente alternada (CA). Isso se deve ao fato da superfície da liga de alumínio formar uma camada de passivação, constituída de óxido de alumínio, que é um composto de alta estabilidade, baixa condutividade elétrica e alta temperatura de fusão. Isso implica o bloqueio do fluxo de elétrons quando o mesmo é estabelecido do eletrodo para peça de trabalho (CC-); porém, quando a corrente alternada é usada, o fluxo de elétrons alterna-se entre CC- e CC+, momento no qual a camada de óxido é quebrada, permitindo assim o fluxo de corrente elétrica. Já para a soldagem MIG, recomenda-se o uso de CC+, pois, nesse caso, o próprio consumível é o eletrodo, motivo pelo qual o mecanismo de emissão eletrônica é alterado, não sendo necessário o uso de CA.

Qualidade superficial do arame

Como comentado anteriormente, a qualidade superficial dos arames corresponde a um dos fatores mais importantes na soldagem das ligas de alumínio. Esta pode afetar a consistência na alimentação do arame, bem como a sanidade do metal depositado (nível de porosidade, defeitos).
Deve-se esperar de um bom arame para soldagem de Al, uma boa consistência em diâmetro e superfície limpa e adequada em rugosidade.

Nesse sentido, a ESAB desenvolveu uma exclusiva tecnologia, o shaving process, para produzir um arame de soldagem de alumínio prêmio. Esse processo possibilita obter superfícies de arame com baixo nível de elementos residuais, como ilustrado na Figura 5, o que significa menores níveis de hidrogênio e, consequentemente, baixa probabilidade de porosidade. Desta forma,é possível obter melhores propriedades de soldagem para aplicações manuais, mecanizadas e robóticas.

arame_aluminio_esab
Figura 2 – Qualidade superficial arames Al - ESAB

Gás de proteção


Existem dois gases normalmente empregados para a soldagem de Al: o argônio e o hélio. Esses gases são empregados como argônio puro, hélio puro ou misturas em diversos percentuais de ambos. Argônio puro é o gás de proteção mais popular, utilizado tanto para soldagem MIG quanto TIG, de ligas de alumínio. Misturas de argônio e hélio são a segunda mais empregada, e hélio puro é geralmente utilizada para aplicações especiais em TIG.

Entretanto, apesar de ser possível aumentar a velocidade de soldagem em algumas circunstâncias utilizando hélio e/ou mistura hélio/argônio, vale ressaltar que os gases contendo hélio são mais caros e têm menor densidade que o argônio, motivo pelo qual se emprega maior vazão de gás.

Publicado em Soldagem de Aluminio , Palavras-Chave Arame Sólido, Soldagem

x

Encontre o Distribuidor mais próximo

x

x

Loading..