CENTRO DE CONHECIMENTO ESAB

11 Perguntas Frequentes de Soldagem

Raul - Técnico ESAB ArgentinaAs 11 perguntas frequentes que os soldadores nos fazem em nossas redes sociais, em respostas curtas e rápidas de Raul, um dos técnicos especializados em soldagem da ESAB Argentina.

 

1 Que equipamento temos para soldar alumínio? Por quê com AC/DC?

Podemos soldar alumínio em qualquer processo, o que muda são as aplicações. Com eletrodos revestidos, soldaremos com corrente contínua, mas o acabamento não será o melhor. Com o processo MIG-MAG, poderemos soldar alumínio e também usaremos corrente direta, mas teremos que ter equipamentos capazes para soldar ou trabalhar com um arame de 1.2 mm ou se for uma máquina menor, adapte uma tocha de carretel (spool gun) para evitar problemas de alimentação que possam ocorrer. E finalmente no processo TIG, quando soldamos o alumínio, precisamos usar corrente alternada, porque precisamos quebrar a camada ou óxido característico do alumínio. Obviamente, o processo TIG é o que tem a melhor conclusão e o mais procurado para realizar um trabalho delicado ou onde precisamos ter zero falhas.

2 Como e por que soldar com tocha robótica como a ET17v? Para qual equipamento essa tocha deve ser usada?

Essa tocha é usada em equipamentos com TIG opcional, isso significa que o equipamento não possui uma conexão para o gás de proteção, ele se conecta diretamente ao regulador e tudo o que precisamos fazer é abrir a válvula para permitir a passagem do gás. poder iniciar a soldagem. É muito importante não esquecer de fechá-lo no final do arco elétrico. Isso ocorrerá, por exemplo, nos seguintes equipamentos: Bantam 180i, LHN 200i plus, LHN240i plus, Conarco MIG 200i G2, entre outros.

3 Como funciona a soldagem LIFT ARC e qual a diferença do processo "raspado" e alta frequência (HF)?

No processo TIG, temos três tipos de partida: Raspagem, LiftArc e alta frequência. Em uma máquina DC ou AC podemos usar o processo TIG, mas teremos um início de raspagem que contaminará o eletrodo, o que devemos evitar. Nesse processo, temos equipamentos como Bantam 180, LHN 200i plus e LHN 240i plus que vêm com TIG opcional e iniciam com liftarc. Esse início é por contato e, em seguida, o equipamento que já está em processo TIG vem com alta frequência e liftarc para inicialização.

4 Quais os diâmetro de eletrodo e do arame devo usar com base na espessura do material base?

Na verdade, não existe uma tabela que vincule o diâmetro dos consumíveis e a espessura da chapa. O importante é que precisamos saber quais são os intervalos atuais de cada consumível e começar a relacioná-lo nós mesmos.

5 Qual é a extensão máxima dos cabos de saída, ou seja, do grampo de aterramento e do suporte do eletrodo? Porque?

Como fabricantes de máquinas, recomendamos que os cabos do grampo terra e do eletrodo não tenham mais de 6 metros de comprimento somando ambos. Então, se queremos usar mais do que o comprimento recomendado, devemos levar em consideração que quanto mais compridos, precisarmos saber que a bitola do cabo muda devido à queda de tensão que causa no equipamento.

6 Quais gases são usados para cada processo de soldagem e como é a regulação do fluxo?

No processo TIG, sempre usaremos um gás inerte, ou seja, argônio e hélio. No Brasil, o gás utilizado é o argônio, devido ao seu custo mais acessível. Então, se falarmos sobre o processo GMAW (MIG-MAG) para cada material, devemos saber qual é o gás recomendado.

7 Qual dos três processos tem a maior resistência de soldagem: Eletrodos revestidos, arames sólidos ou TIG?

Seja no processo SMAW, GMAW ou GTAW, podemos alcançar o mesmo resultado ou a mesma resistência, que mudanças são as aplicações de cada um deles. Digamos que na hora de fazer um trabalho, devemos avaliar qual é o processo que devemos usar.

8 Que potência TIG é recomendada para a soldagem de alumínio?

No processo TIG, podemos usar uma tabela que nos ajuda a aproximar os parâmetros ideais de soldagem que estariam entre 45 e 50 amperes por mm de metal base. Em seguida, no que diz respeito ao equipamento inversor CA/CC, eles são muito bem preparados para obter uma solda ideal com ótima penetração e excelente acabamento.

9 A oxidação entra na chapa ao soldar com arame tubular?

Na realidade, a oxidação não entra na solda com nenhum consumível, a recomendação é não soldar se a peça a ser unida tiver ferrugem, graxa, tinta, entre outras superfícies, já que qualquer um desses componentes pode causar imperfeições na solda.

10 Como regular a corrente (amperagem) da máquina para iniciar a soldagem?

Em qualquer um dos três processos de soldagem que usamos, precisamos conhecer os parâmetros e faixas de correntes nas quais cada um dos consumíveis é manuseado. Assim, sabendo o que temos que soldar, decidiremos os parâmetros de soldagem, dependendo do material, da espessura e da posição da soldagem.

11 Como conseguir um cordão limpo?

A coisa mais importante para obter um cordão de solda perfeita ou para que nossas soldas se ajustem a nós conforme o esperado é buscar treinamento para aprender técnicas e posturas que nos ajudarão a alcançar o objetivo de uma boa solda, em perfeitas condições. Além disso, devemos ter em mente que a segurança do nosso corpo é fundamental e mais importante ao soldar e conhecer bem o manuseio do equipamento e o processo que estamos usando.

Publicado em Processos de Soldagem , Palavras-Chave Processos de Soldagem, Soldagem

x

x

Loading..