Este site utiliza cookies e outras tecnologias de rastreamento para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho e funcionalidade de nossos serviços, analisar a utilização de nossos produtos e serviços, bem como para dar suporte aos nossos esforços voltados à propaganda e ao marketing.

Política de cookies   Aviso de privacidade

Dedicação e Paixão Transformam solda em arte em metal

Por Virginia Soares | 25/Julho/2018

Educação, dedicação e solda: uma mistura que vira arte nas mãos de Rodrigo Gallo (28), artista plástico que tem a soldagem como uma das principais parceiras na composição de suas peças. Filho de serralheiro, teve a inspiração e aprendizado vindos do pai, com quem começou a soldar aos 13 anos.

Rodrigo era muito cuidadoso, focado nos detalhes. Na visão do pai, demorava demais a entregar os serviços. Seu foco nunca foi volume, e sim a qualidade do trabalho que estava realizando. Teve certeza que esta característica faria parte do seu trabalho durante um passeio com seus pais no Mercado Central, onde avistou pela primeira vez uma escultura de moto. A partir dali entendeu que sua dedicação e cuidado para soldar fariam parte de um projeto maior em sua vida.

O próximo passo seria estudar, outra vertente bastante valorizada por Rodrigo. Cuidadoso, ele desenhou e buscou conhecimento sobre tudo que envolvia motos. Foi atrás da história e chegou à Harley Davidson (uma das principais marcas de motos reconhecidas mundialmente). Fabricou então sua primeira réplica de moto, uma peça simples se comparada às peças feitas hoje por Rodrigo. "A prática leva à perfeição. Quanto mais estudo sobre um assunto, mais cresço em meu trabalho", explica orgulhoso.

 

RodrigoGallo - A esquerda, a primeira moto e a direita, como estão sendo feitas hoje em dia.

 

RodrigoGallo e uma de suas motosA riqueza de detalhes e o capricho em cada peça de Rodrigo impressiona. Mas nem sempre o processo que envolve toda a produção é valorizado. Rodrigo diz que em 2013, quando começou, seu trabalho não era muito valorizado: "Por ser um trabalho manual, as pessoas acham que é fácil. Eu levava algumas peças para uma feira em BH e me perguntavam quando era para arrematar todas...", conta com um ar de desanimo, que não dura mais segundos. Seu olhar brilha e assunto não falta quando começa a contar a história de cada peça dentro de seu ateliê, que fica em Ribeirão das Neves, região metropolitana de BH.

 

Rodrigo já vendeu peças para praticamente todo o Brasil. Só réplicas de moto foram mais de 100! É só não enviou para fora do país ainda por questões logísticas, mas vai chegar lá! "Eu não sabia de nada, aprendi tudo fazendo mesmo. Quando o primeiro cliente fora de MG fez contato comigo querendo comprar uma moto fiquei receoso, não fazia ideia de como vender pra ele. Mas arrisquei. Coloquei no correio e torci pra que chegasse lá. Até que o cliente me enviou uma foto, segurando a réplica da moto nas mãos, rindo e satisfeito", comemora com um sorriso.

 

Uma das motos feitas por RodrigoGallo

 

Partiu então para a produção de outras peças como as guitarras, outro ponto forte do seu trabalho! Rodrigo já tem peças em grandes bares e casas de show em SP. Algumas viraram referência, como numa fachada de um bar em Guarulhos e a da rádio 98 de BH. " A 98 é a rádio do rock! Tem a ver comigo, com quem curte meu trabalho. Quero ter uma guitarra minha lá"! Hoje a guitarra da 98 é foto obrigatória para todos que visitam o local.

 

Rogerio Flausino do JotaQuest ao lado da Guitarra na 98FM Guitarra do Rodrigo Gallo na Radio 98FM

 

Estudioso e visionário, Rodrigo tem usado as mídias sociais para divulgar seu trabalho. Começou a gerar conteúdo criativo, impactante, como as guitarras de 3 metros. Já fez 13 delas! "Gosto de pensar, de planejar, de produzir coisas que sejam atraentes. Só assim vou ser visto, e é algo que quero muito!", explica com ares de quem sabe onde quer chegar.

 

RodrigoGallo e uma das suas guitarras

 

Audacioso, seu principal projeto em andamento é uma réplica em escala real de 1/100 da Torre Eiffel.

RodrigoGallo ao lado da Torre Eiffel

 

Para o futuro, Rodrigo acredita que muitas janelas ainda vão se abrir. Tem planos para fabricar outras peças mundialmente conhecidas, como as cabines telefônicas de Londres. Pensa também em palestrar e dividir sua história em escolas: "Não me importo de ensinar o que sei. Quero agregar valor à arte! Quero que mais pessoas acreditem nelas e no que gostam de fazer!", conta orgulhoso.

 

InStagram @fullmetalconcept


Matéria: Virgínia Almeida
Imagens: Virgínia Almeida e arquivo pessoal Rodrigo Gallo

x

Encontre o Distribuidor mais próximo

x

x

Loading..